28127

A DEFICIÊNCIA FÍSICA E A EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA: CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA, DIFERENTES E EFICIENTES

Favorite this paper

O presente trabalho teve como principal objetivo possibilitar uma criança com deficiência física a vivenciar as aulas de Educação Física, na turma da 5ª série, em uma escola da Prefeitura Municipal de Vitória. Em termos de cultura corporal, torna-se óbvio que a Educação Física precisa conhecer e considerar, com frequência, a vasta diferença entre as pessoas: variação de tamanho, habilidades, atributos físicos, níveis de energia, e, também, as necessidades físicas especiais.
Não há como determinar o grau de desenvolvimento que uma criança com deficiência pode chegar. O seu desenvolvimento dependerá de todo um estímulo compensatório que abre novos caminhos para a aprendizagem. A questão é organizar e incluir todos os alunos, o espaço e o tempo num relacionamento distinto, criando-se condições para a materialização do direito de brincar e ter as necessidades geracionais atendidas, nas aulas de Educação Física.
O papel do professor é criar e buscar novas metodologias de ensino, fazendo o que não se sabe fazer, mas deixando-se ensinar através do estranho, do novo, do diferente, valorizando suas formas de agir e fazer, possibilitando a esta criança ser protagonista na construção desse conhecimento.
Essa pesquisa está associada ao conceito de construção social do conhecimento, nas interações sociais e na perspectiva sócio histórica da educação. A metodologia utilizada inseriu-se no enfoque da pesquisa qualitativa, com natureza investigativa e interventiva, e a criança com deficiência torna-se sujeito da ação e beneficiária dela.
As aulas foram pensadas a partir da fala da criança, que, mesmo tendo deficiência física, demonstrou um interesse muito grande em estar inserida nas aulas. Os resultados mostraram que a inclusão auxilia na prática educacional, no que diz respeito à ação pedagógica, fazendo com que os alunos com deficiência se tornem sujeitos de direitos e também, por meio da mediação do outro, produtores de cultura.