61274

VARIAÇÃO DO ÂNGULO MICROFIBRILAR ENTRE INDIVÍDUOS DA ESPÉCIE DE ALEXA GRANDIFLORA DUCKE.

Favorite this paper

O objetivo deste trabalho foi verificar a variação do ângulo microfibrilar entre diferentes indivíduos da espécie nativa amazônica Alexa grandiflora Ducker. associando essas informações as propriedades tecnológicas da madeira. Para isso o material de cinco árvores foi coletado em uma área situada na Floresta Nacional do Tapajós, na porção central da Floresta Amazônica Brasileira, também foi coletado material botânico para a confirmação das espécies, para a análise do ângulo microfibrilar retirou-se 25 blocos de 1cm x 1cm de cada árvore. As análises do ângulo microfibrilar foram realizadas na Universidade Federal de Lavras. Assim a obtenção das imagens e mensuração do material macerado foi utilizado um microscópio trinocular acoplado a uma câmera digital modelo T1004772, obtendo-se imagens pelo programa IPWin32 versão 4.5.0.19. Os ângulos foram determinados usando a técnica de microscopia de luz polarizada em microscópio dotado de uma mesa giratória graduada de 0° a 360°. Quanto ao número de medições para cada amostra utilizou-se a fórmula de suficiência amostral empregado por Freese (1967). Para verificar a existência de normalidade utilizou-se o teste generalizado de Shapiro-Wilk. Já para comparação de médias utilizou-se o teste não paramétrico Wallis de Kruskal. Todas as análises foram realizadas utilizando-se o software R versão 3.4.0. Como resultado não houve diferença estatística entre as árvores, com os ângulos variando de 8,62º a 10,99º.