Favorite this paper

O presente trabalho teve como objetivo analisar a resistência à combustão de painéis MDP produzidos com madeira de eucalipto e resíduos da cultura da soja na região do miolo. As proporções utilizadas de partículas de resíduo de soja (no miolo) em associação com as de eucalipto (Eucalyptus grandis) foram de 0, 25, 50, 75 e 100%. Para cada tratamento foram produzidos três painéis com densidade de 0,7g/cm³, para o encolamento das partículas foi utilizado o adesivo uréia formaldeído, na proporção de 12%. O ciclo de prensagem consistiu de temperatura de 160°C, por um período de 15 minutos a uma pressão de 4 Mpa. Os corpos-de-prova foram retirados com dimensões de 5 x 5 cm sendo posteriormente subdivididos em 4 amostras de 2,5 x 2,5 cm cada. Para a realização do teste de combustibilidade foi utilizado um aparato composto por uma balança e um termopar, procedendo-se as leituras de massa e temperatura a cada minuto durante a combustão. As curvas de combustão foram ajustadas utilizando-se o software ORIGIN. Pela análise dos gráficos, conclui-se que os painéis MDP produzidos com 100% de resíduo de soja no miolo foram mais resistentes à combustão, enquanto que os painéis produzidos com 50% de resíduo de soja no miolo obtiveram maiores porcentagens de queima e o maior pico de temperatura. Os painéis constituídos apenas por madeira de eucalipto obtiveram uma porcentagem de queima de aproximadamente 85%