63657

QUALIDADE ENERGÉTICA DE BIOMASSA PROVENIENTE DE FLORESTA NATIVA SOB MANEJO SUSTENTÁVEL

Favorite this paper

Este trabalho teve o objetivo de determinar a qualidade energética da madeira de espécies da caatinga, no sul do Piauí, visando sua utilização sustentável para a geração de energia. A coleta da madeira de espécies pertencentes à formação florestal foi realizada em dois momentos: 30 de maio e 01 de junho de 2007 (final da época de chuva) e entre 22 de outubro e 01 de novembro de 2007 (final da época de secas na região). Foram coletados cinco discos dos troncos e cinco dos galhos de 28 espécies. O teor de umidade de árvores apresentou valores de 28 a 39%. A massa específica básica variou de 0,716 a 0,735 g/cm3. O teor de cinzas foi de 1,53%. O poder calorífico superior foi de 4583 kcal/kg e o poder calorífico líquido foi de 2952 kcal/kg. O teor de umidade da madeira de árvores recém derrubadas esteve próximo do teor de umidade desejado para diferentes processo de conversão energética da biomassa. A massa específica da madeira foi alta, contribuindo para a maior densidade energética da biomassa. O teor de cinzas foi baixo, sendo importante para geração de energia, pois após a queima, gera pouco resíduo. O poder calorífico líquido foi alto em função do baixo teor de umidade da madeira. A época de colheita não influenciou nas variações observadas nas propriedades físicas e energéticas da madeira. A madeira das espécies de caatinga da região sul do Piauí tem potencial para uso energético em diferentes sistemas de conversão da biomassa em energia.