Favorite this paper

A região semiárida do Nordeste do Brasil é marcada, em geral, pelo extrativismo dos seus recursos naturais. O elevado consumo de lenha e carvão vegetal tem sido suprido por meio do desmatamento, originando em torno de 80% da produção anual. Partindo da necessidade de estudos enfocando o crescimento da Mimosa caesalpiniifolia, para incentivar o plantio florestal com fins econômicos no Nordeste, este trabalho teve como objetivo, avaliar as características dendrométricas e estimar o volume médio do plantio de Mimosa caesalpiniifolia Benth, em resposta ao método de cultivo. O estudo foi realizado em área de experimentação florestal, localizada em Macaíba-RN. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, constituído de dois tratamentos: A e B, instalados em 8 parcelas de 576 m², comportando 64 plantas por parcela, com espaçamento entre plantas de 3 m x 3 m. A coleta dos dados foi realizada 60 meses após o plantio, escolhendo-se aleatoriamente duas parcelas, correspondentes a cada tratamento. Para avaliar o crescimento de cada árvore, foram mensuradas a altura e a circunferência na altura do peito. A altura média do plantio variou entre 5,25 e 5,90 m, o diâmetro na altura do peito médio entre 4,0 e 5,21 cm e o volume médio entre 21,87 e 23,62 m³/ha, para os métodos de cultivo A e B, respectivamente. Conclui-se que a Mimosa caesalpiniifolia apresenta maior crescimento em altura e diâmetro na altura do peito quando submetida a adubação.