Favorite this paper

A exploração em floresta nativa produz cerca de 40% a 60% de resíduos para cada 1 m³ de madeira em tora. Na Amazônia, existe a existe um elevado desperdício dos resíduos de árvores caídas durante a exploração, problema esse causado por diversos fatores. Neste sentido, a caracterização energética surge como uma alternativa de auxiliar na economia local, diversificando e valorando também o uso de florestas nativas. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi realizar a caracterização energética do carvão de resíduos provenientes da base e do galho de (Couratari sp.). O que se observou com a realização deste trabalho é que o galho da espécie apresentou o mesmo potencial energético que a base, quando se realizou a caracterização do material. Não havendo diferenças entre todas as características avaliadas, exceto entre as densidades da base e galho.