Favorite this paper

A expansão agrícola brasileira tem contribuído significativamente para a economia do país e, simultaneamente, para a geração e acúmulo de resíduos agrícolas se não reutilizados de forma devida. Sob essa problemática, a caracterização dos resíduos, caule de mamoeiro, carpelo de noz macadâmia e pergaminho de café, provenientes de cultivos de importância para o estado do Espírito Santo, para a produção de painéis aglomerados, vem como alternativa para a utilização destes como matéria-prima em outros ramos industriais. Assim, analisou-se as características físicas e químicas, densidade a granel, pH, capacidade tampão, teores de extrativos totais, lignina e cinzas dos resíduos supracitados, previamente secos ao ar e reduzidos em moinho de martelo a partículas classificadas em peneiras de malha 4,0 mm para avaliação da densidade a granel e, aquelas retidas na malha de 2,0 mm para caracterização química. As médias de densidade a granel dos resíduos assumiram valores de 0,189, 0,299 e 0,346 g cm-3 para caule de mamoeiro, carpelo de noz macadâmia e pergaminho de café, respectivamente. As maiores médias de teores de extrativos e de cinzas foram observadas para o resíduo de caule de mamoeiro, e de lignina para o resíduo carpelo de noz macadâmia. Os baixos valores de densidade potencializam o uso dos resíduos em possíveis combinações com partículas de madeira de maiores densidades objetivando o aumento da razão de compactação em painéis aglomerados. Sob o ponto de vista da caracterização química, o resíduo com melhores propriedades, favorecendo, principalmente a qualidade de adesão das partículas, foi o pergaminho de café.