61110

BIODETERIORAÇÃO DE ÁRVORES DO ENTORNO DA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, SÃO CRISTÓVÃO/SE

Favorite this paper

Em ambientes urbanos, a arborização proporciona benefícios e qualidade ambiental de vida, pois as árvores, além de fixarem carbono, melhoram a qualidade do ar, garantem um equilíbrio térmico, criam barreira contra os ventos, isolam a poluição sonora e ainda possuem função paisagística. No entanto estes indivíduos são susceptíveis ao ataque de agentes xilófagos, causando sua deterioração e consequentemente problemas em meios urbanos, inclusive no ambiente da universidade. Com base nisso, este trabalho teve como objetivo realizar um diagnóstico dos indivíduos arbóreos atacados por agentes xilófagos localizados em um bosque da Universidade Federal de Sergipe, Campus São Cristóvão. Foi realizado um levantamento visual para mapeamento, identificação e registro dos indivíduos para caracterização qualitativa-descritiva dos ataques observados na área selecionada em função do tipo de dano causado, presença de ninhos e/ou de indivíduos. Como resultado, constatou-se que os cupins foram os agentes de maior ocorrência, presentes em 39 do total de 54 indivíduos arbóreos. Dos 15 indivíduos restantes, 14 apresentaram-se sadios e 1 sob ataque de formigas. É importante destacar que em apenas 11 indivíduos foram constatados danos significativos à árvore quanto ao ataque de cupins; nos demais, verificou-se apenas a presença de túneis e/ou ninhos. Entretanto, apenas visualizações externas não correspondem à realidade das infestações, pois indivíduos aparentemente saudáveis podem apresentar sérios comprometimentos internos. Desta maneira, para complementar a análise visual recomenda-se a utilização de equipamentos como resistógrafo ou tomografia de impulso para um diagnóstico mais detalhado sobre o comprometimento do indivíduo.