60988

AVALIAÇÃO DA SUPERFICIE DA MADEIRA DE DUAS ESPÉCIES FLORESTAIS SUBMETIDAS A ENSAIO DE ENVELHECIMENTO ACELERADO

Favorite this paper

O presente estudo objetivou avaliar o comportamento superficial da madeira de duas espécies florestais Eucalyptus grandis e Tetrorchidium rubrivenium (canemaçu) revestidas com produtos de acabamento de uso externo quando submetidas a ciclos de intemperismo artificial. Para tanto, foram confeccionados cinquenta corpos de prova com dimensões 1,0 x 5,0 x 7,0cm para cada uma das espécies florestais. O estudo foi caracterizado por cinco tratamentos (madeira in natura, polisten, verniz marítimo, tinta à base de óleo e tinta à base de água), em que, foram utilizados dez corpos de prova para cada uma das espécies em cada tratamento. Os corpos de prova foram revestidos pelos diferentes produtos de acabamentos através do método manual de pincelamento. A caracterização física e superficial dos materiais ao longo do ensaio de envelhecimento acelerado foi realizada por meio da determinação do ângulo de contato e morfologia superfície. Verificou-se que o ângulo de contato para a madeira in natura de canemaçu aumentou após a exposição, enquanto que para a madeira de E. grandis não foram observadas diferenças significativas, já, a molhabilidade da maioria dos revestimentos aumentou após a exposição de 480h. Em relação às alterações na morfologia das madeiras não foi possível observar nenhuma modificação, tal como micro rachaduras, e descascamento dos revestimentos. Dessa forma, após os ciclos de envelhecimento acelerado, concluiu-se para a molhabilidade, todos os revestimentos aumentaram a hidrofobicidade da superfície da madeira em relação ao seu estado natural, no entanto, após a exposição de 480h, a repelência da água tende a diminuir.