14363

Agrupamento de espécies madeireiras por similaridade de suas características anatômicas macroscópicas

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

Pouco se sabe sobre as propriedades tecnológicas das madeiras existentes na Amazônia, não obstante do fato do setor madeireiro estar em franco processo de expansão. Por isso, estudos sobre novas espécies com potencial madeireiro embasados em premissas científicas sobre suas propriedades tecnológicas são de suma importância para possibilitar a sua substituição pelas madeiras tradicionais. Portanto, comparar as características ou propriedades tecnológicas da madeira de espécies potenciais com as já tradicionais é um método bastante eficaz para aferir suas qualidades e consequentemente seus usos finais. Neste contexto, o objetivo desse trabalho foi agrupar espécies, pelas características anatômicas de sua madeira, a fim de separá-las em grupos distintos para subsidiar o uso potencial dessas madeiras pouco conhecida. Para isso, foram analisados corpos de prova pertencentes a 5 diferentes espécies madeireiras, realizando seus agrupamentos através das suas variáveis anatômicas macroscópicas; dimensões dos vasos (diâmetro, frequência e percentagem de área), e de parênquima axial (percentagem de área) preconizando seu uso potencial. Com os resultados obtidos com os testes estatísticos utilizados através da Analise de Componentes Principais (multivariada) verificou-se que a técnica é adequada para o agrupamento das espécies madeireiras de acordo com as possibilidades de uso.