14432

VARIAÇÃO DA DENSIDADE BÁSICA DA MADEIRA DE CLONES DE EUCALIPTO PARA A PRODUÇÃO DE CELULOSE

Favorite this paper

O objetivo deste trabalho foi avaliar a variação da densidade básica no sentido longitudinal do tronco e no sentido radial na altura do DAP (diâmetro a altura do peito).
Foram estudados sete clones do híbrido Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla com idade de 6 anos. Para cada clone foram coletadas cinco árvores, totalizando 35 para o estudo. Discos foram retirados a 0%, DAP, 25%, 50%, 75% e 100% da altura comercial da árvore. Para a determinação da densidade básica da madeira no sentido longitudinal da árvore, foram retirados 4 cunhas de cada disco, com exceção da posição a 0% que foi retirado duas cunhas por árvore.
Para a determinação da densidade da madeira no sentido radial, foi retirada uma bagueta apenas no disco do DAP de cada árvore. Para a determinação do volume saturado a ser utilizado no cálculo da densidade básica foi utilizado o método da balança hidrostática descrito no MB-26/40 da ABNT, porém com a substituição do mercúrio pela. Na determinação da massa seca, foi utilizada uma balança de precisão de 0,01g. A secagem completa das amostras foi realizada em uma estufa com controle automático de temperatura, regulada para 103 ± 2°C.
Na determinação da densidade básica na direção radial de cada bagueta, foram retiradas pequenas amostras em intervalos de 1,0 cm a partir da medula, em direção a casca. Depois de determinados o volume verde e a massa seca das amostras, foi calculada a densidade básica.
Conclui-se que a densidade básica varia ao longo do tronco no sentido longitudinal da árvore, tendendo cair até 25% da altura comercial e com tendência de aumento até o topo; e varia na direção medula-casca da árvore, com tendência de aumento em direção à periferia do tronco.
A relativa pouca variação na densidade na direção medula-casca das árvores de todos os clones estudados se devem a pequena idade e lenho constituído de madeira juvenil.