FORMAÇÃO EM SAÚDE MENTAL EM TEMPOS DE COVID-19 E DE RETROCESSOS POLÍTICOS: MODIFICAÇÕES NAS AÇÕES EDUCACIONAIS DA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DE MG

Vol 2, 2022 - 161610
Relato de Experiência em Saúde Coletiva
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

As ações educacionais foram planejadas e realizadas entre março de 2020 e dezembro de 2021.

Objeto da experiência

Ações educacionais em saúde mental realizadas pela Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP MG) em contexto de pandemia e retrocessos políticos.

Objetivos

Apresentar a oferta diversificada de ações formativas em saúde mental, realizadas pela ESP MG, que buscaram contribuir para a sustentação do cuidado nas Redes de Atenção Psicossocial (RAPS) em Minas Gerais, em contexto de pandemia e de retrocessos nas políticas de saúde mental.

Metodologia

As ações foram ofertadas de modo remoto e utilizaram diferentes metodologias coerentes com a educação permanente em saúde, concepção político-pedagógica adotada pela ESP MG, que considera os embaraços surgidos no cotidiano do trabalho nos serviços e redes e reconhece a importância do diálogo entre diferentes saberes e sujeitos nos processos formativos. Entre as ações ofertadas, destacamos: ciclos de webinário, oficinas, cursos de curta duração, podcasts e um curso de especialização.

Resultados

Foram ofertados 9 webinários sobre atenção psicossocial, supervisão clínico-institucional e leitos de saúde mental em hospitais gerais; 4 podcasts sobre saúde mental e pandemia, 4 oficinas sobre o cuidado em saúde mental, 2 cursos de curta duração sobre saúde mental na atenção básica e sobre suicídio na juventude e 1 Especialização em Políticas de Saúde Mental e Atenção Psicossocial. Os webinários e podcasts tiveram cerca de 16.000 acessos. As outras ações contaram com mais de 800 participantes.

Análise Crítica

A oferta de diferentes ações educacionais possibilitou diálogos, reflexões e compartilhamentos de experiências e saberes sobre o trabalho em saúde mental, além do acolhimento das angústias e das dificuldades vivenciadas pelos trabalhadores. As ações remotas realizadas, ainda que tenham apresentado desafios para assegurar a interação entre os participantes, mostraram-se relevantes e alcançaram, em quantidade expressiva, trabalhadores de diferentes regiões do estado de Minas Gerais.

Conclusões e/ou Recomendações

A impossibilidade de manter ações educacionais presenciais exigiu que a ESP-MG produzisse inovações em suas ofertas durante a pandemia. Ações remotas passaram a ser realizadas contemplando diferentes temas, formatos e públicos e demonstraram a importância da formação para o fortalecimento dos trabalhadores da RAPS em contextos especialmente marcados por desafios associados à COVID-19 e aos retrocessos nas políticas de saúde mental.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Eixo Temático
  • Eixo 11 - Educação e Formação em Saúde Coletiva