COBERTURA DA AVALIAÇÃO DE MARCADORES DO CONSUMO ALIMENTAR DO SISTEMA DE VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL: INTEGRAÇÃO COM A ESTRATÉGIA E-SUS APS DE 2015 A 2019

Vol 2, 2022 - 160618
Relato de Pesquisa
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

O monitoramento da situação alimentar de populações é fundamental. No Brasil, é necessário avançar na cobertura da prática no âmbito do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan) a partir da atenção primária à saúde do SUS. Formulários de marcadores do consumo alimentar foram revisados em 2015 e houve integração do Sisvan Web com a Estratégia e-SUS APS para entrada de dados em 2017.

Objetivos

Estimar a cobertura e a taxa de incremento anual (TIA) média da avaliação de marcadores de consumo alimentar do Sisvan, entre 2015 e 2019, considerando a entrada de dados via Estratégia e-SUS APS e Sisvan Web.

Metodologia

Trata-se de estudo ecológico de séries temporais, com estratificação por unidades federativas, macrorregiões e faixas etárias (

Resultados

A cobertura da avaliação de marcadores de consumo alimentar no país foi de 0,92% em 2019, com TIA significante de +45,63% desde 2015. A maioria das unidades federativas apresentou tendência de aumento ou estabilidade (exceção de DF para

Conclusões/Considerações

A cobertura de avaliação dos marcadores do consumo alimentar no país teve aumento significante entre 2015 e 2019, sendo mais elevada entre crianças em todas as macrorregiões. A entrada de dados via Estratégia e-SUS APS teve tendências consistentemente crescentes. Percebe-se que a cobertura da avaliação de marcadores do consumo alimentar do Sisvan ainda é incipiente e que o e-SUS APS parece ser uma estratégia relevante para sua expansão.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Eixo Temático
  • Eixo 03 - Sistema Único de Saúde: desafios persistentes e perspectivas