A PRODUÇÃO DE UM DOCUMENTÁRIO SOBRE ADESÃO AO TRATAMENTO DE HIV/AIDS E A POTENCIALIDADE DO AUDIOVISUAL PARA A COMUNICAÇÃO EM SAÚDE

Vol 2, 2022 - 159824
Relato de Experiência em Saúde Coletiva
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Produzido entre novembro de 2021 e maio de 2022

Objeto da experiência

Produção de um documentário com pessoas que vivem com HIV/AIDS, a partir de um recorte sobre as vivências e desafios encontrados para a adesão ao tratamento.

Objetivos

O objetivo central da produção deste documentário foi o de trazer para o debate público as singularidades das vivências de pessoas que vivem com HIV/AIDS e a complexidade em torno do processo de adesão e continuidade da terapia antirretroviral (TARV)

Metodologia

O filme foi realizado a partir de demanda do Projeto Reconcetando Vidas, da Fiocruz Minas. Para a escrita do roteiro foram identificadas em dados da literatura, em conversas e depoimentos questões norteadoras acerca das dificuldades encontradas para que pessoas que vivem com HIV aderissem ao tratamento. Realizamos uma busca pelos personagens, tendo em mente a questão da representatividade de gênero e raça, e convidamos um artista que vive com HIV para construção de uma narrativa performática.

Resultados

O documentário narra as vivências de três pessoas que vivem com HIV, abordando temas importantes como o estigma, o acolhimento nos serviços de saúde e os direitos sexuais e reprodutivos. O grupo decidiu por inserir uma parte ficcional no filme, a partir da performance do artista convidado. Essa decisão faz parte de uma estratégia discursiva de explorar pela linguagem audiovisual as subjetividades dessas pessoas que vivem com HIV e que dificilmente seriam retratadas em depoimentos convencionais.

Análise Crítica

A decisão de utilizar a linguagem audiovisual se deu principalmente pela possibilidade de ampliar o alcance da discussão, levando em conta a capacidade do cinema de gerar identificação do espectador com a narrativa. Aspectos do campo da antropologia visual foram levados em consideração, como a ideia da negociação com os interlocutores e a noção da “câmera participante”. Esse caminho adotado fez parte da busca por uma relação de reciprocidade entre a direção e os participantes.

Conclusões e/ou Recomendações

As discussões coletivas presentes no processo de construção do filme contribuíram para a possibilidade de comunicar sobre a temática do HIV/AIDS de forma dissociada dos estigmas normalmente presentes. Entendemos que a experiência da produção de conteúdo audiovisual no campo da Saúde Coletiva como extremamente relevante, pois possibilita a democratização da produção de sentidos da saúde e pode subsidiar a participação cidadã nos debates públicos.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Eixo Temático
  • Eixo 13 - Interseccionalidades, lutas sociais e direitos humanos na saúde