A ESTRUTURA DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO DISTRITO FEDERAL: UMA AVALIAÇÃO CENSITÁRIA NO ESCOPO DE UM PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARTICIPATIVO

Vol 2, 2022 - 159683
Relato de Pesquisa
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Uma estrutura apropriada das Unidades Básicas de Saúde (UBS) contribui para o desenvolvimento dos processos de cuidado, melhora o acesso da população e desempenha papel central, para a qualidade da prestação de serviços. Essa estrutura compreende os seguintes elementos: estrutura física, disponibilidade de equipamentos, recursos materiais e humanos, além de componentes de tecnologia e informação.

Objetivos

Avaliar a Tipologia de Estrutura das UBSs do Distrito Federal (DF), indicador composto, que distingue as Unidades de acordo com suas condições estruturais, visando considerar esse aspecto, quando da avaliação do desempenho das equipes de saúde.

Metodologia

Entre agosto de 2020 e janeiro de 2021, planejou-se avaliar todas as 165 UBSs do DF, por meio de entrevista telefônica e questionário autopreenchido com os gestores, além de coleta de dados de sistemas oficiais da SES-DF. Adaptou-se para o DF, uma proposta de tipologia nacional. O instrumento abrange 43 variáveis distribuídas em 6 dimensões: tipos de equipes, elenco de profissionais, serviços disponíveis, estrutura física, insumos e equipamentos de tecnologia, informação e comunicação. Para cada variável foi atribuído um valor e as dimensões foram ponderadas, para classificar as UBSs em tipos A, B, C, D ou E, sendo a estrutura das UBSs do tipo A adequada e as do tipo E insuficiente.

Resultados

Das 165 UBSs do DF, 157 disponibilizaram dados para avaliação (95,2%). Apenas três das UBSs avaliadas apresentaram classificação máxima (Tipo A) representando 1,9% do total. As UBSs classificadas como Tipo B representaram 33,8% do total (n=53), as Tipo C 33,1% (n=52); as Tipo D 19,1% (n=30) e as Tipo E 12,1% (n=19). Algumas UBSs apresentaram pontuação zero nas dimensões “serviços disponíveis” (5,1%) e “elenco de profissionais” (0,6%) e expuseram indisponibilidade de teleatendimento, vacinação, exames e medicamentos, além da incompletude das equipes. Observou-se pelas médias e desvio padrão, que as maiores pontuações das UBSs encontraram-se na dimensão “estrutura física”, com média 0,78±0,09.

Conclusões/Considerações

A Tipologia de Estrutura das UBSs do DF evidenciou os serviços de Atenção Primária à Saúde (APS), que necessitam de melhorias estruturais de forma prioritária, o que, em consonância com autoavaliação, apoio institucional e planos de ações realizados pelas equipes, previstos no Programa QualisAPS, contribuirá sobremaneira com a melhoria da qualidade da APS no DF, possibilitando o desenvolvimento do pleno potencial das suas equipes de saúde.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Eixo Temático
  • Eixo 03 - Sistema Único de Saúde: desafios persistentes e perspectivas